Exposições AFID 2018

Copyright ©2018

A Fundação AFID Diferença tem-nos vindo a habituar a um extenso calendário de exposições artísticas, a par com a sua participação regular em concursos nacionais e vários outros eventos que visam promover o trabalho realizado nesta área. 2018 não foi excepção e por isso queremos aqui relembrar alguns momentos de maior destaque.

Na Galeria Artur Bual, já nossa parceira regular, teve lugar a exposição Sem Filtro, durante os meses de Fevereiro e Março, em conjunto com a Amorama, Cerciama e Associação Recomeço – instituições sociais do concelho da Amadora que connosco foram convidadas a expôr pela primeira vez neste espaço. Para além de uma vasta mostra de pintura e artes plásticas, onde os nossos trabalhos puderam dialogar com outros até então desconhecidos mas com tanto em comum, tiveram lugar várias tardes de partilha de workshops e eventos dinamizados por cada uma das associações. Pudémos assim estender e viver intensamente esta celebração da espontaneidade, dos verdadeiros encontros e da alegria na diferença.

A parceria com a prestigiada loja e galeria de artesanato Arte da Terra, foi também este ano reforçada com a exposição (a)Mostra, durante o mês de Março. Entre uma série de delicadas peças de cerâmica com motivos orgânicos, em diálogo com as flores de papel marmoreado realizadas no atelier do papel, e um conjunto de gravuras coroado por uma enorme tela colorida do Luís Rosa, destaca-se deste momento a simetria criada entre as pinturas de Filipa Santos, Marco Batazar e Nuno Geada com as suas respectivas reproduções em tapeçaria, realizadas no atelier de tecelagem com o pormenor e rigor técnico que assegura a nossa legitimidade naquele espaço ao lado de alguns dos melhores artesãos nacionais.

Fazemos um salto no tempo para referir que uma destas tapeçarias, a partir d’A Catedral da Primavera de Filipa Santos, foi em Setembro vencedora do 2º lugar do CRIDEM, o concurso nacional dirigido a artistas com deficiência, promovido pela APPACDM e a Fundação Manuel da Mota, onde teve também uma menção honrosa o Luís Ferreira, com o quadro Anacleto. Já quase no fecho desta edição, refira-se ainda que o mesmo autor foi galardoado com o primeiro prémio no concurso Arte e Criatividade, promovido pela Câmara Municipal de Almada, com a pintura O Zé Pedro dos Xutos. É também com muita alegria que o Tiago Lopes viu reconhecido o seu empenho com o 2º lugar no mesmo concurso, com a pintura Benfica-Belenenses, memória do jogo a que assistiu ao vivo com os colegas em Maio do ano passado.

Os meses de Junho e Julho acumularam outras três grandes exposições, a primeira das quais no Museu do Oriente, com o título Horizonte à Vista. O conjunto de trabalhos aqui exposto foi distribuído de forma a sugerir uma viagem em direcção à côr e à imaginação, começando com desenhos raspados numa camada negra de tinta da china (técnica de grattage) e terminando com os desenhos de sonhos que resultaram de uma sessão partilhada com o lar Geração. O atelier do papel mostrou um conjunto de fotografias em transfer sobre puzzles recuperados e ao fundo pairavam suspensas as duas “musas”, túnicas realizadas pelo atelier de tecelagem. No centro deste percurso figuraram as telas e o álbum de fotografias de pinhole da residência artística O Espanto de Ver, colaboração com as artistas Anabela Mota e Marta Silva.

Mil Palavras Valem Quase uma Imagem foi o mote da exposição na Casa-Museu Medeiros e Almeida que colocou em destaque a expressão escrita de autores como o Nuno Castro e a Ana Rita Silva, paralelamente a um deslumbrante conjunto de quadros. Foi também ocasião para reflectir acerca da possibilidade de expressar imagens por palavras – alguns autores gravaram audio-descrições dos seus trabalhos para os aproximar das pessoas cegas (e não só!). Destaque também para a habitual colaboração da Susana Juzarte com a tradução destes materiais e legendas em braille e reproduções em relevo.

O final do ano lectivo foi assinalado pela inauguração da primeira exposição da AFID no Teatro Thalia. Neste magnífico palco teve lugar uma celebração efusiva que fez justiça ao título da mostra – Pés Fora do Chão. Desenhos de pequenas dimensões convidavam os espectadores a percorrer os corredores até ao grande salão onde se encontravam não apenas as pinturas de maiores dimensões, mas também a instalação Penélope. Fruto da colaboração do atelier do papel com o de tecelagem, este projecto conseguiu apropriar-se da grandeza do espaço, preenchendo-o com a leveza e a elegância das suas figuras esguias que sugeriam a encenação do mito da Grécia antiga – a história de amor de Penélope, uma jovem tecedeira, é um exemplo da persistência dos artesãos.

É impossível escrever com justiça em tão poucas linhas acerca do mérito e do entusiasmo que cada um dos nossos artistas tem demonstrado no seu trabalho e no trabalho coletivo dos ateliers. Refira-se a importância da colaboração cada vez mais sólida e o empenho de toda a equipa técnica das oficinas artísticas em levar avante ideias novas, arriscar técnicas inéditas, acompanhar e executar com excelência e primor projectos ousados.

Queremos deixar um agradecimento à direcção que nos tem incentivado, à equipa de marketing e comunicação, aos responsáveis das instituições que nos acolheram, aos grupos AFIDritmo e AFIDance que trouxeram vida e energia contagiante a todas as nossas inaugurações, aos tutores dos nossos artistas e a todos os que têm apoiado e acompanhado as nossas actividades.

Foi um conjunto de talentos incríveis que nos permitiu com estas obras coloridas ou sóbrias, alegres ou arrebatadoras, mas sempre espontâneas e genuínas, cativar o olhar de um público cada vez mais alargado para a genialidade, valor e resiliência da pessoa com deficiência. Acima de tudo, fazer cada espectador olhar para o interior de si mesmo e constatar como é tão igual ao que move estes artistas.

Temos assim muitas razões para nos determos sobre o que passou, mas ainda assim não tantas quantas as que nos fazem aguardar o que o ano de 2019 nos promete.

Texto da autoria de: Nuno Lacerda, Coordenador do atelier de Pintura

Atualizado em 22-Fev-2019 | Partilhar:

Entre em Contacto

Telefone (+351) 214 724 040
Email: info@afid.pt
R. Quinta do Paraíso, Alto Moinho
2610-316 Amadora, PORTUGAL

Livro de Reclamações
(Email: fundacao@fund-afid.org.pt)

2019 ©

Rodapé PT

Fundação AFID DiferençaTermos LegaisSiga-nos no FacebookCanal YouTubePerfil TwitterSiga-nos no InstagramSiga-nos no LinkedIn
 
Certificações