O futuro da Inteligência Artificial

Atelier de Pintura

1 -A inteligência artificial (IA) é um ramo da ciência da computação que visa criar máquinas inteligentes, i.e., programar computadores para que consigam ter determinadas características e desempenhar funções específicas, como por exemplo o reconhecimento de fala, a aprendizagem de conhecimento, a percepção e o raciocínio, sendo assim capazes de resolver problemas ou de manipular e mover objectos. A IA tornou-se assim uma parte essencial da indústria de tecnologia.

Para que seja possível as máquinas agirem e reagirem como seres humanos, elas precisam de coleccionar muitas informações relacionadas com o mundo e em particular com a realidade dos temas específicos para o qual estão programadas. Nem o homem, nem as máquinas nascem ensinadas e, por tal, não admira que a análise matemática de algoritmos de aprendizagem das máquinas represente um ramo bem definido da ciência computacional, assim como a robótica representa um ramo de investigação importantíssimo relacionado com a IA, uma vez que os robôs precisam de inteligência para aprenderem tarefas como por exemplo a manipulação e a navegação de objectos.

2 – Existem inúmeros exemplos de contribuições da IA para o aumento dos níveis de eficiência industrial desde há já várias décadas, nomeadamente no campo da automação. Mais recentes, são os contributos específicos nas áreas da medicina, no entanto, progridem de forma impressionante. Veja-se por exemplo o caso de “um sistema de IA desenvolvido na China que ajudou a salvar a vida de vários pacientes num estado de coma considerado ‘sem esperança’ por vários médicos. A IA contrariou o prognóstico – e os pacientes acordaram de facto”. Ou ainda um outro sistema de IA de médicos de clínica geral desenvolvido por uma empresa também de tecnologia chinesa, que iniciou um trabalho experimental num hospital comunitário numa província do leste da China, em que o sistema pode ouvir os médicos a diagnosticar os pacientes e produzir automaticamente documentos electrónicos para relatos de casos de pacientes, i.e., o sistema de IA desenvolve uma aprendizagem suficiente para mais tarde possa contribuir para um mais eficiente atendimento médico, porque poderá recorrer a registos que sugerem prescrições em casos de pacientes com históricos semelhantes.

3 – Além da enorme importância que a IA irá ter no futuro em todos os setores da vida humana, além da medicina com referido – tais como na área da nanotecnologia, robótica e energia -, a questão central que hoje se discute entre os cientistas é a de saber se as emoções se poderão um dia também transmitir aos robôs, aquilo a que hoje se chama o ”mito da singularidade”, havendo quem defenda que a crescente inteligência que os robôs irão recebendo dos humanos poderá gerar ela própria inteligência capaz de conduzir a um domínio da humanidade pela máquina.

4 – Estamos, inquestionavelmente, em presença de uma nova revolução tecnológica na história da humanidade, com repercussões ainda hoje difíceis de avaliar, apesar de já se saber que serão de enorme dimensão.

Texto da autoria: L. Murteira Nabo, Curador da Fundação AFID Diferença

Atualizado em 22-Fev-2019 | Partilhar:

Entre em Contacto

Telefone (+351) 214 724 040
Email: info@afid.pt
R. Quinta do Paraíso, Alto Moinho
2610-316 Amadora, PORTUGAL

Livro de Reclamações
(Email: fundacao@fund-afid.org.pt)

2019 ©

Rodapé PT

Fundação AFID DiferençaTermos LegaisSiga-nos no FacebookCanal YouTubePerfil TwitterSiga-nos no InstagramSiga-nos no LinkedIn
 
Certificações