Parecer técnico Unidade de Neuroestimulação (UNE)

Copyright ©2018

A Unidade de Neuro-estimulação (UNE) é um novo projeto de atendimento diurno especializado que funciona integrada na Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI) da Fundação AFID Diferença e que se destina à população idosa com demência da área metropolitana de Lisboa. Esta Unidade destina-se concretamente a pessoas com demência clinicamente diagnosticada que necessitem de apoio especializado durante o dia e, se necessário, em horário alargado para apoio às famílias.

Constituem-se como objetivos desta Unidade: Alargar os serviços à comunidade específicos para pessoas com demências; Aumentar qualidade e capacidade das respostas às pessoas com demência; Promover qualidade de vida e envelhecimento ativo; Inovar as respostas às pessoas com demência e suas famílias; Fomentar a empregabilidade dos familiares; Promover a formação aos cuidadores formais e informais; e Potenciar do trabalho realizado na ERPI na área das demências.

Com um modelo de funcionamento entre uma ERPI e um Centro de Dia, pretende esta Unidade ser um complemento ao nível da estimulação cognitiva e sensorial de pessoas que, apesar de não apresentarem um elevado nível de dependência, apresentam sinais de demência. Esta unidade tem capacidade de resposta para 20 pessoas com um horário de funcionamento das 9h às 18h de segunda a sábado e possui a possibilidade de prolongamento das 7h às 9h e das 8h às 22h. Este horário mais alargado é uma resposta inovadora permitindo uma maior tranquilidade, descanso e qualidade de vida às famílias e cuidadores, além de uma resposta mais consistente e especializada às próprias pessoas com demência.

A Unidade de Neuroestimulação está munida de uma equipa multidisciplinar para que desta forma os beneficiários do projeto possam usufruir da metodologia de intervenção centrada na pessoa.  A equipa é constítuida por: Neurologista, Médico de Clínica Geral, Fisiatra, Nutricionista, Assistente Social, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional e Terapeuta da Fala, Fisioterapeuta, Animadora Sociocultural, Enfermeiros e Auxiliares de Ação Direta.

No âmbito da avaliação diagnóstica de cada potencial cliente aferimos em concreto as funções alteradas e mantidas e a gravidade dessas alterações. Com base nesta avaliação é definido o perfil pelo estádio da situação demencial em que cada cliente se encontra. Para cada pessoa com demência é aferido o seu estádio com caracteristicas diferentes, a saber:

Estádio 1:

  • Perda de memória moderada; mais acentuada nos acontecimentos recentes;
  • Dificuldade moderada nas relações temporais e orientado no espaço durante o exame;
  • Dificuldades moderadas para resolver problemas, semelhanças e diferenças, mas normalmente mantém o discernimento social;
  • Incapaz de funcionar independentemente nestas atividades, embora, de certa forma, inda possa estar envolvido, ainda que numa avaliação superficial aparenta normalidade;
  • Limitação ligeira, mas evidente, do funcionamento em casa; abandono das tarefas mais difíceis e abandono dos passatempos e interesses mais complicado;
  • Necessita de instruções nos cuidados pessoais.

Estádio 2:

  • Perda de memória grave; apenas memorização de material retido com insistência;
  • Dificuldade grave nas relações temporais; quase sempre desorientado no tempo, frequentemente no espaço;
  • Limitação grave para resolver problemas, semelhanças e diferenças;
  • Discernimento social é limitado;
  • Incapacidade de funcionamento independente fora de casa;
  • Preservado apenas o interesse nas tarefas simples;
  • Necessidade de Apoio nas Atividades de Vida Diárias.

Estádio 3:

  • Perda de memória grave; restam apenas fragmentos;
  • Orientado apenas em relação a si próprio;
  • Incapacidade de discernimento ou resolução de problemas;
  • Incapacidade de funcionamento independente fora de casa;
  • Nenhuma capacidade significativa de realizar funções em casa;
  • Necessita de muita ajuda com os cuidados pessoais;
  • Incontinência muito frequente.

Deste modo, cada pessoa com demência é integrada num grupo de acordo com o seu estádio. Este grupos tendem a ser preferencialmente homogéneos, contudo prevêem-se atividades desenvolvidas em grupos mistos, possibilitando o aumento das experiências e interações.

Em cada grupo são desenvolvidos os programas terapêuticos individuais ou de grupo, com base em aividades ocupacionais, de estimulação motora, cognitiva e/ou sensorial, de relaxamento e outros treinos específicos de atividades de vida diária. Seguem-se alguns exemplos:

Atividades Ocupacionais e Lúdicas:

  • Expressões: pintura, colagem, modelagem, desenho
  • Jogos didáticos: puzzles, bingo, dominó, sopa de letras, provérbios
  • Artes: Música, Canto, Dança, Cinema
  • Atividades lúdicas: Jardinagem, Culinária
  • Atividades físicas: movimento, treinos de marcha, relaxamento
  • Atividades intergeracionais

Atividades terapêuticas:

  • Fisioterapia
  • Terapia ocupacional
  • Psicoterapia
  • Terapia da Fala
  • Snoezelen

Atividades de orientação para a realidade:

  • Quadros de orientação para a realidade
  • Calendários (horas, semana, meses, estação do ano)
  • Orientação no espaço
  • Orientação de contexto ambiente

Estimulação cognitiva:

  • Técnicas comportamentais: modelagem, reforço positivo, treino de competências sociais
  • Terapia orientada para realidade: treinos de atividade de vida diária
  • Estimulação cognitiva: treinos de leitura e escrita, exercícios de memória, linguagem, orientação, atenção, etc.
  • Terapia de reminiscências: fotografias, músicas, objetos, filmes
  • Técnica da validação: treinos de emoções

Estimulação sensorial:

  • Treinos de atividades de vida diária: alimentação, mobilidade, higiene
  • Atividades sensoriais: tacto, olfacto, paladar, visão e audição
  • Estimulação motora: mobilizações, transferências, levantes
  • Estimulação multi-sensorial – sala de Snoezelen: estimulação sensorial, relaxamento

A Unidade Neuroestimulação surge assim como uma resposta inovadora e especializada na área das demências dado que as intervenções não farmacológicos, a par com os tratamentos farmacológicos, têm eficácia comprovada e são imprescindíveis no combate à progressão da demência. Mais ainda, a equipa desta Unidade trabalha no sentido de retardar inclusivamente alguns efeitos da demência ao nível físico e emocional e, sempre que possível, possibilita a manutenção e recuperação de algumas capacidades cognitivas.

Texto da autoria de: Teresa Reis

 

Atualizado em 22-Fev-2019 | Partilhar:

Entre em Contacto

Telefone (+351) 214 724 040
Email: info@afid.pt
R. Quinta do Paraíso, Alto Moinho
2610-316 Amadora, PORTUGAL

Livro de Reclamações
(Email: fundacao@fund-afid.org.pt)

2019 ©

Rodapé PT

Fundação AFID DiferençaTermos LegaisSiga-nos no FacebookCanal YouTubePerfil TwitterSiga-nos no InstagramSiga-nos no LinkedIn
 
Certificações